Brinquedos que consomem

brinquedoautomaticoAs crianças, ao brincar,  criam uma série de estórias, vão imaginando e transformando mentalmente seus brinquedos, que adquirem uma vida construída por elas. Podemos ver isso nas falas que acompanham as brincadeiras e que os pequenos em geral não gostam que os adultos ouçam, pois revelam suas intimidades.
Os brinquedos atualmente já vem cheios de desempenhos: bonecas que choram lágrimas, falam, cantam, fazem xixi. Os carros, os aviões, são tão performáticos quanto os verdadeiros. As crianças têm que descobrir uma brecha onde o brinquedo lhes permita inventar algo próprio, ao invés de só apertar botões.
O mais triste dessa história é que em muitas famílias o dinheiro necessário para outras coisas é gasto nesses apetrechos dispendiosos e pouco importantes para o prazer e a função de brincar. Já ouvi uma mãe dizer: “lá em casa falta dinheiro, mas brinquedo não falta não…”
O importante é que brincar não é igual a ter brinquedos, basta ver o que os pequenos fazem com objetos como pregadores de roupa, tampas de panela, retalhos de pano e uma infinidade de coisas. É com isso e com brinquedos mais simples que a função do brincar melhor se realiza. Muitas vezes os automatizados apenas ficam na estante.

Com brinquedos tão próximos da realidade, corremos o risco de inverter a posição do agente na brincadeira. Outro dia, numa brinquedoteca, ouvi uma menina perguntando à mãe: ‘ o que essa boneca faz ?’ Seria bom perguntar à garota o que ela gostaria de fazer com a boneca…
·

Helena Grinover e Marcia Arantes

http://marciaarantes.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s