Consumimos crianças?

consumocriança2O artigo de Ruy Castro na Folha de São Paulo, dia 17/06/2011, ‘Guerra ao Gugu-dadá’, aborda a questão das crianças que são levadas a encarar, cada vez mais cedo, o aprendizado de idiomas, o uso da internet, os regimes alimentares, o consumo de produtos para adultos, etc.

Podemos acrescentar a essa lista as festas infantis com shows e temas de adolescentes, aniversários em spas com tratamentos de beleza para meninas de nove, dez anos, e outras precocidades que chegam a ser constrangedoras para quem observa. Vocês ja tiveram a oportunidade de ver crianças dançando funk, como foi mostrado no programa ‘A Liga’ (TV Bandeirantes) há algumas semanas? Fico imaginando o que pensarão essas crianças sobre seus pais, que foram coniventes, ao virem o vídeo dessas festas daqui a alguns anos, quando puderem entender o significado das coreografias…

Os filhos são herdeiros dos desejos dos pais, é importante e inevitável que seja assim. ‘Meu filho terá o que me faltou, o que eu não tenho, será meu seguidor, terá o melhor que eu puder dar…’ Não é fácil por limites nisso tudo.
Mas é possível fazer a separação entre o que são os desejos dos pais de popularidade, de sucesso profissional, de beleza e o que são as necessidades das suas crianças. Às vezes, os adultos submetem as crianças a um stress desnecessário e com sérias consequências, por causa da insatisfação com as próprias vidas.
Será mais fácil enfrentar a imensa pressão do marketing e da sociedade, se tiverem a convicção de que sua função é proteger os filhos da violenta submissão a situações que eles não têm, ainda, capacidade para compreender.Sugerimos aos nossos leitores as postagens: Brinquedos que consomem, de 06/06 e Infância Violentada? de 16/05.

·Marcia Arantes e Helena Grinover

2 pensamentos sobre “Consumimos crianças?

  1. Sugestão de pauta: A publicidade para e pelas crianças.
    A relação das crianças diante da propaganda exibida e dos pais que inscrevem seus filhos para trabalhar com publicidade.
    Ou ainda como as “crianças atores e atrizes” lidam com o “faz de conta” do trabalho em um filme de terror por exemplo.

    Parabéns pelo blog.
    Pedro

  2. Sim, Pedro, vamos falar mais sobre a incidência da publicidade na constituição psíquica das crianças. Apoiamos políticas públicas que as protejam do assédio midiático publicitário.
    Obrigada,
    Helena

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s