É meu, ou é nosso?

É meu, ou é nosso?

Beatriz está fazendo nove anos e a família preparou  um lanche para os amigos onde a diversão é cada um montar o próprio sanduíche. Sobre a mesa há várias travessas com os ingredientes e talheres para que as crianças se sirvam. Surpreendentemente, muitas delas avançam, devorando  com as mãos os recheios de sua preferência, sem a mínima preocupação em montar os lanches ou utilizar os apetrechos adequados.
Nesta idade, uma criança já deveria ter aprendido que os talheres são para proteger o alimento que todos vão ingerir e que a divisão dos quitutes numa festa não privilegia alguns convidados…
Adultos, frequentemente, se  questionam diante de comportamentos individualistas dos jovens. Os mais velhos, horrorizados, dizem: ‘no meu tempo não era assim…’ O que se passa?
Na sociedade contemporânea, a vida dos cidadãos é cada vez mais mapeada por trajetórias individuais. A realização pessoal depende em alto grau do que o sujeito conquista por conta própria, com poucas contribuições das organizações e instituições sociais. Esse movimento, acelerado nas últimas décadas, amplia e valoriza o espaço privado em detrimento do coletivo. Estudar, trabalhar, cuidar dos filhos, demanda enormes esforços e recursos individuais ou familiares. Trava-se uma crescente ‘luta pela vida’ na qual é necessário vencer os que disputam a ‘sua’ posição e o lugar que cada ‘um’ conquista precisa ser defendido o tempo todo.
A ação que predomina, dentro do campo social estruturado desta maneira, é mais orientada por uma avidez para conseguir o que se quer, do que por uma disposição para participar e compartilhar.
O efeito disto pode ser observado nas crianças em situações como as do nosso evento de aniversário.
A noção de que o coletivo pertence a todos e de que destruí-lo empobrece também  aquele que o destrói,  parece estar longe da experiência de vida dos mais novos. É um desafio para pais e educadores ajudá-los a adquirir essa consciência. Para isso, vão precisar recuperá-la neles mesmos…
·

Helena Grinover e Marcia Arantes

Serviços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s