Programas especiais

I-            Parceria com escolas de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio.

O trabalho é realizado em grupos de conversas com  os pais.

Enfoca a difícil missão de educar nos dias de hoje sem regras pré-estabelecidas, uma vez que parte do pressuposto de que a melhor posição em relação aos filhos não se define a priori, mas surge da percepção e do entendimento próprio de cada situação.

São conversas sobre o relacionamento com os filhos que permitem aos pais fazer mudanças no exercício das funções paterna e materna. Esse trabalho facilita a travessia de momentos críticos que sempre surgem nas relações familiares.

Os temas de cada encontro são definidos a partir de diálogo entre nós e os orientadores da Escola. Essa conversa permitirá estabelecer um diagnóstico das situações do momento e as prioridades nos assuntos a serem tratados.

Nossa prática tem demonstrado que essa abordagem, mesmo sendo pontual, promove mudanças significativas.

Os problemas enfrentados pelos pais com dificuldade e preocupação, assumem outra proporção quando discutidos e compreendidos em grupo. O efeito é de alívio da angustia e descoberta de saídas mais felizes para situações que estão se repetindo exaustivamente.

  • Forma de atendimento

O trabalho  se desenvolve semanalmente em encontros grupais de uma hora e meia de duração. Nossa experiência tem mostrado que três encontros entorno de um tema definido com descrevemos acima, são muito produtivos.

 

II-         Parceria com escolas de ensino superior.

Proposta de Plantão Psicológico em Institutos de Ensino Superior.

A- Justificativa

O ingresso do aluno nas IES é marcado por uma constelação de aspectos pessoais e sociais que exercem grande influência no seu destino universitário.

Para a  maioria deles, trata-se de uma conquista que pavimenta os primeiros passos da construção do futuro profissional. O momento é marcado por alta expectativa, pressão interna,  familiar e social.

Frequentemente, há um hiato entre a escolha idealizada que povoa a mente do adolescente, e a realidade com a qual se defronta no inicio dos estudos superiores.

Muitas vezes há decepções nos primeiros meses. Não por acaso, é o momento das evasões e conflitos com a escola. Esse contexto torna o aluno vulnerável, com baixa tolerância à frustração e incerto de suas escolhas. É o terreno propício para se deflagrar uma crise com saídas equivocadas que não solucionam, mas retardam o caminho da profissionalização. A persistência e permanência no projeto em curso dependerão da forma como se resolverá a crise.

 

B-  Características da Adolescência

  • Assunção de uma identidade própria
  • Sonhos de um projeto profissional
  • Idealização de missão pessoal
  • Abandono dos ideais infantis
  • Relacionamento interpessoal com preferência por grupos não familiares
  • Mudança no relacionamento com o grupo familiar

C- Pressões que atuam no início do curso

  • Grande expectativa e idealização
  • Desejos dos familiares e carências sociais.
  • Choque diante das diferenças em relação ao ensino médio
  • Competição entre os futuros colegas de profissão

D- Principais desafios da nova posição estudantil

  • Construção do projeto profissional
  • Desenvolvimento das competências técnicas necessárias
  • Desenvolvimento da capacidade de inserção no mercado de trabalho
  • Conhecimento dos ideais que impulsionam o desejo profissional
  • Construção do esboço de uma missão

 

E- Motivos para uma saída equivocada dessa crise

  • Decepção em relação ao curso pela quebra das idealizações
  • Atribuição da causa dos sentimentos de impotência à escola e arrependimento.
  • Falta de crença nas próprias competências e habilidades.

F- Objetivo do programa: Construção da alternativa criativa

  •  Propiciar ao aluno em crise, a oportunidade de ser ouvido no momento de eclosão    da angustia.
  • Levá-lo a reavaliar suas queixas, posicionar suas expectativas, elaborar as frustrações, conectar seu projeto de futuro com o presente e reduzir o hiato entre as idealizações e a realidade.

G- Benefícios para o aluno

  • Redução do nível de ansiedade.
  • Aprimoramento da construção de sua escolha.
  • Aumento do compromisso com o curso.
  • Redução de evasão determinada por impulso ou intolerância à frustração.

H- Benefícios para a instituição

  • Redução de evasão por impulso ou equívoco na análise da situação.
  • Maior credibilidade dos alunos na parceria com a escola.
  • Diminuição de trabalho para os funcionários
  • Melhoria do clima na Instituição
  • Melhor aproveitamento dos alunos
  • Redução dos problemas de relacionamento interpessoal.
  • Coleta de dados para diagnóstico institucional.

I- Ação

Propomos realizar plantão de atendimento a alunos de primeiro ano que estejam enfrentando situações como:

  • Descontentamento com o currículo escolar
  • Dificuldade de relacionamento com colegas ou professores
  • Dúvidas em relação à escolha profissional
  • Crises pessoais que afetem o rendimento escolar
  • Sentimentos de desanimo e solidão

A carga horária dos plantões será moldada segundo as necessidades da instituição.

J-Relatório para a Diretoria da Escola

O contato com os alunos nos permite uma análise das percepções que eles têm da escola como instituição de ensino, dos professores e funcionários. Derivam-se daí possíveis sugestões que trazem a vantagem de virem de profissionais não pertencentes ao âmbito institucional e, portanto, mais isentos.  Novos elementos serão acrescidos aos conhecimentos que a escola já possui.

Essa análise sempre será feita sem revelar o material pessoal das conversas com os alunos.

 

III-       Programa de Vitalização no Trabalho

Trata-se de um programa desenvolvido para líderes e profissionais que estejam atravessando um período de desvitalização na relação com o trabalho. A falta de motivação e entusiasmo, os sentimentos de tédio, peso e rotina sem sentido, a queda de criatividade e eficiência, os quadros psicossomáticos são manifestações do que chamamos desvitalização. Situações desse tipo devem ser tratadas e resolvidas, pois além de causarem sofrimento pessoal, têm amplo poder de irradiação, refletindo negativamente em todo o grupo de liderados e colaboradores.

Propomos, nestes casos, um atendimento individual que se constrói sobre o caminho único da história de cada profissional. O objetivo é recuperar suas forças psíquicas para impulsionar o potencial de trabalho. Trata-se de mobilizar energias para a realização do profissional na direção dos seus ideais.

A construção do programa está baseada em pesquisa que realizamos junto a executivos. Nossa experiência clínica permite conduzir o processo utilizando teorias psicanalíticas, mas trabalhando com tempo determinado e etapas bem definidas.

 

Um pensamento sobre “Programas especiais

  1. Muito interessante o trabalho que vocês propõe e colocam a disposição. Hoje o psicanalista tem liberdade para usar uma teoria que se desenvolveu de modo bastante complexo transformada em um método rico e aplicável nos mais diferentes momentos da vida. Restringir o método psicanalítico a sessões de psicoterapia ou análise, se quisermos ser mais puristas, representaria perda de potencial extraordinário das aplicações possíveis.. E boas aplicações como essas mencionadas acima: se referem a momentos vividos como críticos, e um bom encontro pode representar mudanças substancias na vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s